Endocardite bacteriana

Endocardite bacteriana

Um exemplo de doença sistêmica que pode ser causada por más condições da saúde bucal. A Clínica Odontológica Nacle explica o que é a endocardite bacteriana.

A endocardite bacteriana ou também denominada endocardite infecciosa é um grave quadro infeccioso das válvulas do coração, com potentes chances de morte do indivíduo.

A endocardite bacteriana é decorrente da instalação de uma bactéria circulante da corrente sanguínea em alguma válvula do coração, multiplicando-se e constituindo a chamada vegetação valvar, composta por grande número de bactérias e diversos tipos de células sanguíneas.

Normalmente, nosso sangue é livre da contaminação de microrganismos estranhos, sendo denominada bacteremia quando uma bactéria alcança a corrente sanguínea, e por ela consegue percorrer todo o corpo. A cavidade bucal é uma região de grande contato com diversos microrganismos, podendo estes compor a infecção do indivíduo e ter a condição de causar a endocardite bacteriana a partir da possibilidade da bactéria percorrer todo o corpo através da corrente sanguínea. A entrada da bactéria na via sanguínea é o principal evento que pode caracterizar o início de uma endocardite bacteriana.

O biofilme dental é formado pelo acúmulo de microrganismos em certas regiões da boca, principalmente nos locais de difícil acesso durante a escovação. A permanência desses microrganismos por um longo espaço de tempo, como por exemplo, na região entre o dente e a gengiva, resulta na inflamação do local. Com a gengiva inflamada, ou como denominada gengivite, o indivíduo tem grandes chances de causar um rompimento desse tecido por causa de sua fragilidade (devido à inflamação estabelecida), causando um sangramento. A partir do sangramento, freqüente em escovações quando a gengivite está presente, podemos logo considerar que o vaso sanguíneo foi rompido e a entrada dos microrganismos é então permitida. Essa é a principal via de acesso das bactérias na corrente sanguínea, podendo causar a endocardite bacteriana.

Caso não seja diagnosticada e tratada a tempo, a endocardite bacteriana leva à destruição da válvula cardíaca acometida, tendo como conseqüência um quadro de insuficiência cardíaca, podendo variar entre agudo e grave. Além do comprometimento da válvula cardíaca, a endocardite bacteriana pode causar outros problemas, principalmente pelo fato de poder ocorrer um desprendimento da vegetação valvar (conjunto de bactérias e células sanguíneas alojadas na válvula cardíaca), assim denominada êmbolo. O êmbolo é capaz de percorrer todo o corpo a partir da corrente sanguínea, e causar obstruções em diferentes locais, como no pulmão, causando a chamada embolia pulmonar; no cérebro, causando o AVC; ou qualquer outra região.

A gravidade que envolve a endocardite bacteriana tem altas proporções, uma vez que o índice de mortalidade chega próximo aos 30% dos infectados, ou seja, quase um em cada três indivíduos que se apresentam infectado com a endocardite bacteriana, evolui para o óbito.

A infecção pode ser decorrente de diversos tipos de bactérias, sendo este o principal meio de diferenciação no diagnóstico e, portanto, da gravidade da endocardite bacteriana.

Os sintomas mais comuns para os indivíduos que apresentam endocardite bacteriana são febre e calafrios, mas também são sintomas: falta de ar, cansaço, perda do apetite, dores pelo corpo, suores noturnos, etc. Alguns edemas nas pernas podem aparecer nos casos mais graves juntamente com a insuficiência cardíaca e intensa falta de ar.

A adequada higiene bucal, com o uso do fio dental, escova de dente e enxaguantes, é a melhor maneira de se prevenir aendocardite bacteriana, mas também outras doenças bucais ou pelo resto do corpo. Temos que lembrar que a boca é a porta de entrada do nosso organismo. Devemos dar uma atenção especial ao seu bom cuidado juntamente com bons hábitos que utilizamos no dia a dia.

×
Ola !
Posso Ajudar ?